Salário de homem Gay reduzido para igualar ao das mulheres

O salário de um homem sofreu uma redução de 50% para igualar com o salário das ‘outras mulheres’, depois do seu chefe descobrir a sua orientação sexual.

Wesley Wernecke de 32 anos, começou a trabalhar na Eventique – uma empresa de eventos com quem trabalhou para Spotify, Amazon, Twitter, H&M e Nike – como Produtor Sênior, depois de ter sido “agressivamente” recrutado em Boston.

Discriminação no trabalho

Uma semana depois de trabalhar na empresa, a aliança de Wernecke era conversa de corredor por ser ‘chamativo’ e ‘feminino’. Um colega perguntou: “Então, como é o anel da tua esposa?

De acordo com os documentos judiciais apresentados David, chefe de Wernecke e SEO da empresa, excluiu Wernecke de conferências e bebidas com “as pessoas”.

David fez de tudo para livrar-se de Wernecke porque não aceitava ter um homem abertamente gay a trabalhar no escritório.

Depois de trabalhar três meses na empresa, David disse a Wernecke que iria reduzir 50% do seu salário, de US $ 145.000 para US $ 70.000.

Não conseguia dormir à noite a pensar que estava a ser pago muito mais que as outras mulheres do escritório’ disse David a Wernecke.

O chefe ainda referência o funcionário como uma das ‘mulheres do escritório‘ reforçando a ideia de que a sua orientação sexual era impróprio para trabalhar na Eventique.

Lei de Proteção de Pessoas LGBTI+ no trabalho

Anthony Consiglio, advogado de Wernecke, disse que o seu cliente é “um excelente diretor de marketing e produtor de eventos ao vivo“.

“Esses atos não podem ser reconciliados com a lei contra a discriminação e proteção de lésbicas, gays, bissexuais, queeres e transsexuais nos trabalho”.

Fonte: Gaytimes

Também poderás gostar:

Publicidade

Últimos Artigos

Latest Posts

Publicidade

Não percas

Publicidade