Portugal é o 4.º país mais seguro para turistas LGBTI+

Segundo o estudo do ‘Índice de Perigos LGBTQ +, Portugal foi considerado o 4.º país mais seguro para pessoas LGBTI+ viajar, ao contrário da Nigéria, Qatar e Yemen considerado os países mais perigos para a comunidade LGBTI+ viajar.

Portugal somou um total de 306 pontos ficando atrás da Noruega com 307 pontos (3.º Lugar), Canadá com 309 pontos (2.º Lugar) e Suécia em primeiro lugar com 322 pontos. Este estudo classificou o Brasil como o 28.º país mais seguros.

Critérios usados:

Este estudo foi realizado com base em 8 critérios:

  • Legalização do casamento homoafetivo (0 a +50 pontos) – O casamento entre pessoas do mesmo sexo é legal e igual nos termos da lei nesse país? Se o casamento não é legal, as uniões civis são legais? Caso contrário, o país reconhece legalmente casamentos estrangeiros LGBTQ+? As pontuações para essa métrica foi calculada com base em quantos anos o casamento entre pessoas do mesmo sexo é legal neste país. As uniões civis e outros tipos de parceria receberam metade dos pontos e também foram classificados pelo número de anos em que são legais.
  • Proteção dos trabalhadores LGBTI+ (0 a +50 pontos) – Para as pessoas que vivem no país, existem proteções legais contra a discriminação no local de trabalho? Pontos completos foram concedidos por orientação sexual e proteção de gênero; metade dos pontos foram concedidos apenas para proteção da orientação sexual.
  • Leis contra a descriminação e homofobia (0 a +50 pontos) – Existem proteções legais constitucionais ou amplas das pessoas LGBTQ + nesse país? As proteções constitucionais receberam pontos completos; proteções amplas receberam metade dos pontos.
  • Proteção constitucional de pessoas LGBTI+ (0 a +50 pontos) – A violência anti-LGBTQ +, baseada no ódio ou inspirada na homofobia é considerada um crime de ódio neste país? O discurso anti-LGBTQ + baseado no ódio é considerado discurso de ódio? A existência de penalidades por crimes de ódio recebeu pontos completos; as punições por incitação recebiam meio ponto
  • Legalização da adoção homoparental (0 a +50 pontos) – A adoção conjunta e / ou adoção de segundo pai é legal neste país para pais do mesmo sexo? O reconhecimento da adoção conjunta e da segunda parte dos pais recebeu pontos completos, enquanto apenas o reconhecimento da adoção pela segunda parte recebeu meio ponto.
  • Se é um bom lugar para viver (0 a -100 pontos) – Numa pesquisa da Gallup de 2018, foi perguntado aos indivíduos: “A cidade ou área em que você vive é um bom lugar, ou não é um bom lugar para morar para gays e lésbicas?” As percentagens representadas e usada no estudo incluem aqueles indivíduos que disseram “bom lugar” para esse país. Atribuímos a esse fator uma ponderação dupla, porque dá um impulso muito bom à atitude geral em relação às pessoas LGBTQ + naquele país.
  • Ser homossexual é considerado crime (0 a -100 pontos) – A “sodomia”, “atos indecentes” ou “buggery” podem resultar em punições sob a lei, como violência física, multa ou prisão? Quaisquer sentenças de morte possíveis, ou condenações de prisão perpétua nos termos da lei recebem a pena de segurança máxima de -100. Todos os outros castigos foram classificados por gravidade. Atribuímos a esse fator uma dupla ponderação negativa, porque o fato de a homossexualidade ser ilegal e receber a sentença de morte significa que as leis desses países definitivamente não são favoráveis ​​às pessoas LGBTQ +.
  • Leis Propaganda / Moralidade considerado crime (0 a -50 pontos) – Existem leis sancionadas pelo Estado para impedir a disseminação ou publicação de informações sobre a cultura queer? Existem leis que afetam a criação de grupos de defesa de direitos LGBTQ + e organizações não-governamentais (ONGs)? Essa métrica foi classificada com base na severidade das punições.

Para medir a segurança de LGBTQ + nos países, não é possível analisar apenas os dados sobre se o casamento entre pessoas do mesmo sexo é legal ou não e se existem leis contra a discriminação LGBTQ +. Também depende da atitude geral da cultura, minúcias do sistema jurídico e opressão dos direitos LGBTQ +. Esses problemas podem afetar tudo, desde realizar manifestações de carinho em público até poder compartilhar uma cama de quarto de hotel até a possibilidade de usar aplicações de namoro sem ser apanhado pela polícia. Alguns fatores da lista, como reconhecimento de adoção e proteção dos trabalhadores, podem não afetar diretamente os turistas LGBTQ +, mas esses fatores são bons indicadores do reconhecimento dos direitos LGBTI+ no país

Vê o a lista completa dos países mais seguros e perigos para turistas LGBTI+ viajar:

Fonte: Asherfergusson

Também poderás gostar:

Publicidade

Últimos Artigos

Latest Posts

Publicidade

Não percas

Publicidade