Bolsonaro diz que a OMS incentiva crianças a serem gays e se masturbar

O presidente brasileiro Jair Bolsonaro disse que a Organização Mundial de Saúde incentiva a homossexualidade e à masturbação entre crianças. O líder de extrema-direita fez o anúncio no seu Facebook sem citar uma fonte. Posteriormente eliminou o post.

Essa é a OMS que muitos dizem que devo seguir no caso do coronavírus. Deveríamos então seguir também suas diretrizes para políticas educacionais?

Para crianças de 0 a 4 anos: satisfação e prazer ao tocar o próprio corpo *masturbação* ; expressar as suas necessidades e desejos, por exemplo, no contexto de *brincar de médico* as crianças têm sentimentos sexuais mesmo na primeira infância.

Para crianças de 4 a 6 anos: uma identidade de género positiva; gozo e prazer ao tocar o próprio corpomasturbação na primeira infância; relações entre pessoas do mesmo sexo.

Para crianças de 9 a 12 anos: primeira experiência sexual.

As alegações sugerem que a OMS incentiva essas práticas entre crianças pequenas.

Um consultor de Bolsonaro, Arthur Weintraub, twitou: “A OMS tem diretrizes que recomendam que crianças de zero a quatro anos sejam ensinadas sobre ‘masturbação’ ”, prazer e diversão ”, tocar o corpo de alguém e ‘ideologia de gênero’. Isso está certo?”

A origem das informações vem do guia “Padrões para Educação em Sexualidade na Europa“, publicado pelo Centro Federal de Educação em Saúde da Alemanha e pelo escritório europeu da OMS.

Embora não seja seu foco principal, o guia explica que as crianças geralmente estão a descobrir os seus corpos e diz aos pais e educadores que comportamentos como se tocar e curiosidade sobre sexualidade são normais em crianças. Mas não os convoca a incentivar nenhum dos comportamentos mencionados por Bolsonaro.

“Tropical Trump”, Bolsonaro, está regularmente em desacordo com a OMS desde o início da pandemia de coronavírus.

Ele diz que as medidas de distanciamento social estão a destruir desnecessariamente a economia devido a um vírus que ele compara a um “pequeno resfriado”, e recentemente demitiu o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta.

Publicidade

Últimos Artigos

Latest Posts

Publicidade

Não percas

Publicidade