Connect with us

Festival da Canção 2020

Festival da Canção 2020 | António Avelar Pinho

António-Avelar-Pinho-Festival-da-Canção-2020

António Manuel Flor Avelar de Pinho (Entroncamento, 27 de Maio de 1947) foi membro fundador de grupos como Filarmónica Fraude (1967) e Banda do Casaco (1973). Avelar de Pinho foi músico, é autor, produtor, escritor de canções e livros.

Em 1980 entrou para o Departamento Nacional de Artistas e Reportório da Valentim de Carvalho. Trabalhou ainda com diversos nomes da música nos últimos 40 anos, como Rui Veloso, Doce e Né Ladeiras. Foi um dos autores da personagem Avô Cantigas.

Com o seu colega Nuno Rodrigues escreveu para vários nomes da música nacional como Lara Li, Gabriela Schaaf ou Concha. Em 1977 escreveu e coproduziu o disco do programa “Fungagá da Bicharada”.

Foi empresário de artistas famosos como Carlos Paredes ou Rão Kyao. Escreveu para o álbum de estreia de Rita Guerra. Funda a Companhia das letras e produz programas de televisão como o Top Mais.

António Avelar Pinho já participou duas vezes no Festival RTP da Canção, na edição de 2006 foi o autor da letra de “Bem Mais Além” interpretada pelos MariaFolia e em 2007 com os TribUrbana.

“Bem Mais Além”

(em atualização)

Também poderás gostar:

Orgulho Gay 🌈

Advertisement
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Festival da Canção 2020

Festival da Canção 2020 | Conheça os compositores da edição de 2020

festival da cancao 2020

A RTP revelou os compositores participantes para o Festival da Canção 2020. As semifinais vão decorrer nos dias 22 e 29 de fevereiro e a grande final a 7 de março.

Compositores para o Festival da Canção 2020

A RTP manteve o modelo adotado nos últimos anos, com a seleção de 14 compositores por convite direto e 2 por submissão de propostas. O vencedor irá representar Portugal no Eurovision Song Contest 2020 (ESC 2020) em Maastricht ou Roterdão agendado para o dia 12 de maio de 2020. Veja a lista de compositores participantes para o Festival da Canção 2020:

António Avelar Pinho

Fonte: Blitz

António Manuel Flor Avelar de Pinho (Entroncamento, 27 de Maio de 1947) foi membro fundador de grupos como Filarmónica Fraude (1967) e Banda do Casaco (1973). Avelar de Pinho foi músico, é autor, produtor, escritor de canções e livros.

Em 1980 entrou para o Departamento Nacional de Artistas. Trabalhou 15 anos na indústria discografia e ajudou Rui Veloso, escreveu para outros nomes como as Doce e Herman José. Compôs músicas para os Heróis do Mar, os Taxi e foi autor da personagem Avô Cantigas.

António Avelar Pinho já participou duas vezes no Festival RTP da Canção, na edição de 2006 foi o autor da letra de “Bem Mais Além” interpretada pelos MariaFolia e em 2007 com os TribUrbana.

Lê mais sobre António Manuel Flor Avelar de Pinho.

Blasted Mechanism

Fonte: NIT

Os Blasted Mechanism são uma banda de rock alternativo, composta pelos membros Valdjiu (bambuleco, kalachakra, guitarras), Ary (baixo), Guitshu (voz, teclados), Fred Stone (bateria) e, mais recentemente, Riic Wolf (voz). Embora centrada no rock, a sua música recorre a vários elementos eletrónicos.

Mais do que apenas uma banda ou coletivo de artistas, o Blasted é um grupo de pensadores que se reuniram para desenvolver um conceito que rompe barreiras no palco e entra na nossa realidade quotidiana. Durante esse processo em evolução, a música e as palavras inspiradas são conectadas às artes visuais e aos conceitos tecnológicos para criar uma experiência ao vivo inesquecível, notada pelo público e pela média em todo o mundo.

Lê mais sobre os Blasted Mechanism

Dino D’Santiago

Dino-d-santiago-festival-da-cancao
Fonte: Sony Portugal

Dino d’Santiago cresceu numa casa amante de música no sul do país e os seus pais Cabo-verdianos pertenciam ao coro musical da igreja. Após ir para Lisboa, a sua experiência no coro fê-lo evoluir e abrir portas para a sua carreira como cantor de hip Hop e R&B em concertos em Portugal.

Dino D’Santiago tem vindo a dedicar o seu talento na união dos tradicionais Morna, Batuku, and Funaná com o contemporâneo R&B e musica eletrotónica, progressivamente. ‘Nôs Funaná’ (Sony Music Portugal, 2018) é o primeiro single a antecipar o seu novo álbum, ainda sem nome, mas agendado para ser lançado no outono deste ano.

Lê mais sobre o Dino D’Santiago

Elisa Rodrigues

Nos últimos anos, Elisa Rodrigues acumulou muitas experiências de palco, integrando equipas de outros artistas portugueses ou assumindo o desafio em nome próprio. O seu disco de estreia, “Heart Mouth Dialogues”, editado em 2011, revela todo o seu talento.

Sem nunca perder a identidade marcada pelo jazz, Elisa conseguiu trabalhar com influências muito distintas. Depois desse disco, Elisa foi recrutada para gravar com a banda britânica These New Puritans, assumindo essa responsabilidade no disco “Field Of Reeds”, editado em 2013, e acabando por manter esse posto de destaque na digressão intercontinental do grupo.

Enquanto se entrega de corpo e alma a cada canção que interpreta, Elisa Rodrigues apodera-se de cada melodia como se esta sempre tivesse sido sua e brinca com as palavras como se tivesse crescido de mãos dadas com cada um dos poemas que declama através do seu canto.

Sabe mais da Elisa Rodrigues aqui.

Filipe Sambado

filipe sambado festival da cancao
filipe sambado festival da cancao

Filipe Sambado inaugurou o seu percurso musical em 2012 com o lançamento do EP “Isto Não É Coisa Pra Voltar a Acontecer”. No entanto, aconteceu mesmo e assim chegaram até nós “1,2,3,4” e “Ups… Fiz Isto Outra Vez”, que abriram caminho para “Vida Salgada”, o seu primeiro longa duração lançado em 2016.

O seu mais recente trabalho “Filipe Sambado & Os Acompanhantes de Luxo” foi editado em Abril de 2018 com selo NorteSul/ Valentim de Carvalho. Aclamado pela crítica especializada e pelo público, foi considerado o melhor disco nacional do ano pela Antena 3, Radar, Vodafone FM, entre outras publicações, e nomeado para os Prémios SPA 2019 na categoria de Música – Melhor Trabalho de Música Popular.

Mais sobre Filipe Sambado.

Hélio Morais

Hélio Morais é um dos 14 compositores convidados, pela RTP, para apresentar um original no Festival da Canção de 2020. Baterista nos Linda Martini desde o início da banda de rock alternativo, quando em 2003 começaram a tocar em Lisboa. Juntou-se depois aos Paus e é também agente e produtor na Haus.

> Ver mais

Jimmy P

Nasceu em Lisboa a 16 de Setembro de 1983. Filho de pais angolanos tem na personalidade e na alma a típica força africana. Sendo o seu pai Jorge Plácido (antiga glória internacional do futebol português), Jimmy sempre vivenciou culturas diferentes, facto que só enriquece o seu conhecimento e influência na elaboração do seu trabalho musical.

Figura central da nova geração da música portuguesa, Jimmy P representa o que de melhor se faz na música urbana atual, espaço largo para onde faz confluir uma fusão perfeita entre o Rap e o R&B. O poder da rima, bem como a prevalência da palavra longe de estereótipos misóginos e lugares-comuns, nunca deixará de ser central no seu trabalho.

Jimmy P atinge o marco de 10 anos de carreira.

João Cabrita

João Cabrita nasceu a 24 de Junho de 1972, é de Lisboa e é um saxofonista português. Ele agora faz parte do Cais Sodré Funk Connection, Cacique ’97 e The Legendary Tigerman. Colaborou com Sitiados, Despe E Siga, Linha da Frente, Sérgio Godinho, Cool Hipnoise, entre muitos outros. Tem colaborado com vários cantores e grupos dos quais se destacam Susana FélixVirgem SutaZeca BaleiroSérgio GodinhoDead Combo, entre muitos outros.

Mais informações em https://joaocabrita.bandcamp.com/

Marta Carvalho

Marta Carvalho festival-da-cancao-2020

Marta Carvalho é uma cantora, compositora e produtora natural do Porto. Com apenas 17 anos, começou a dar nas vistas no programa de televisão “The Voice Portugal”, onde se sagrou finalista em 2016. Desde então, Marta Carvalho já atuou em alguns dos mais consagrados palcos nacionais, tais como a Casa da Música e o Coliseu do Porto.

Marta Carvalho, que já conta com milhares de seguidores e visualizações nas suas redes sociais, assume-se agora com uma personalidade versátil e ousada, num registo R&B e Pop cantado em português, onde todas as produções e composições têm a sua orientação e identidade.

Meera

meera festival da cancao

Jonny Abbey, Goldmatique e Cecília Costa são MEERA, coletivo do Porto que conta com o carimbo da editora Discotexas. Desde uma tour de verão no Brasil, onde tudo começou, até um sunset íntimo num terraço no Porto, MEERA é a receita na dose certa para a diversão de que todos procuramos.

Há alguns anos, Jonny Abbey (músico e produtor que integrou Mirror People como guitarrista e vocalista), e Cecília (vocalista e baterista portuense) acabaram por se conhecer na mesma banda. Fascinados com as viagens pelo mundo e visitas a destinos exóticos, ambos fizeram parte de uma banda em digressão mundial.

MEERA é a receita na dose certa para a diversão que todos procuram.

Clica aqui para ler mais sobre os MEERA

Pedro Jóia

Pedro Jóia (n. 30 de Maio 1970) é um guitarrista português, compositor e diretor musical. Pedro é considerado um dos melhores guitarristas portugueses.

Tem cinco CD’s gravados em nome próprio e prepara, em 2011 a edição de um disco ao vivo gravado com a Orquestra de Câmara Meridional. Compõe regularmente música para teatro e curtas-metragens cinematográficas. 

Rui Pregal Da Cunha

Rui José Pregal da Cunha (Macau, 21 de fevereiro de 1963) é um músico e cantor português fundador e vocalista da banda, Heróis do Mar.

Foi fundador e vocalista da banda portuguesa de pop-rock Heróis do Mar. Em conjunto com Paulo Pedro Gonçalves, o seu colega na anterior banda, fundou os LX-90 que editaram o álbum 1 Revolução por Minuto. Posteriormente emigraram para Inglaterra e alteraram o nome do grupo para Kick Out of The Jams.

Throes +The Shine

Throes + The Shine nasceu em 2011 no coração do Porto. Uma comunhão entre Portugal e Angola, eles são caracterizados por um híbrido de kuduro (dance music explosiva de Angola), sons eletrónicos e rock. A sua presença no palco é tremendamente emocionante e contagiosa: corpos em movimento e sorrisos são o denominador comum nas multidões presentes nesses momentos.

Depois de três discos em várias gravadoras independentes e centenas de shows em mais de dez países, eles estão a preparar um novo álbum ambicioso e animado para atravessar novas fronteiras e levar a sua mistura cultural a todos os cantos do mundo.

Tiago Nacarato

Tiago Nacarato é um cantor portuense com raízes brasileiras e com um contacto com a música desde cedo. 

A sua banda – Bamba Social – juntou um coletivo de músicos luso-brasileiros que revisitam os variados clássicos da musica brasileira desde os anos 30 até aos dias de hoje, recriando-os e acrescentando novas sonoridades. 

Ler mais sobre Tiago Nacata em Festival da Canção 2020 | Tiago Nacarato

Cláudio Frank

Cláudio Frank é um dos compositores convidados pela RTP para o Festival da Canção 2020 através do programa “Masterclass” da Antena1.

Dubio

A dupla Dubio são os grandes vencedores do concurso de livre da RTP1.

Em 2011, Rui e Pedro, com apenas 14 anos decidiram passar de ouvintes para produtores de música. Naquela época, eles não se conheciam, mas compartilhavam a mesma paixão, desejo e as mesmas aspirações de se tornarem um ícone internacional na indústria da música.

Três anos depois, em 2014, eles conheceram-se no ensino médio e decidiram criar o seu primeiro projeto que eles chamavam de ‘Noise Kingdom’. Os Dubio nunca estabeleceram num género, estilo ou ideologia. O objetivo deles desde é trazer um som fresco, puro e autêntico.

A primeira semifinal do Festival da Canção 2020 realiza-se a 22 de fevereiro de 2020. A segunda acontecerá uma semana depois. A grande final está agendada para 7 de março, num local ainda a definir. Seguindo a tradição estabelecida há dois anos pela RTP, o espectáculo que elegerá o representante de Portugal na Eurovisão deverá realizar-se fora de Lisboa. Guimarães e Portimão foram as últimas cidades anfitriãs.


Continue Reading

Festival da Canção 2020

Festival da Canção 2020 | Tiago Nacarato

Tiago Nacarato é um cantor portuense com raízes brasileiras e com um contacto com a música desde cedo. Aos 18 anos decide investir na sua educação musical ao inscrever-se na escola de música Valentim de Carvalho onde teve aulas de canto, guitarra, treino auditivo, teoria musical e combo. Durante esse tempo surgiu as primeiras oportunidades, sendo que um dos marcos mais importantes vem na sequência o convite de Pedro Cardoso (Peixe de Ornatos Violeta), o seu professor na altura, para integrar uma orquestra de guitarras e baixos elétricos, projeto esse que pisou palcos como Serralves em Festa, Hard Club ou Casa da Música.

O regresso às raízes brasileiras acontece uns anos depois quando se junta à Orquestra Bamba Social como vocalista. Juntos, lançaram já os temas “Sorria” e “Cadê Cascais”, este último com a participação do rapper brasileiro Marcelo D2.

Desde 2018 a apresentar o seu trabalho a solo em palco, Tiago Nacarato deu já inúmeros concertos em território nacional, tendo esgotado o grande auditório do Centro Cultural de Belém (Lisboa), a Sala Suggia da Casa da Música (Porto) e o Convento São Francisco (Coimbra), entre outros, estreou-se também no Brasil, onde atuou para salas esgotadas com direito a sessão dupla em São Paulo e Rio de Janeiro, e ainda Fortaleza e Belo Horizonte. Em 2019 destaca-se o regresso ao Brasil, bem como a presença em alguns dos maiores festivais nacionais: O MEO Marés Vivas, o NOS Alive e o Festival do Crato.

(em atualização)

Também poderás gostar:

Continue Reading

Festival da Canção 2020

Festival da Canção 2020 | MEERA

meera festival da cancao

Desde uma tour de verão no Brasil, onde tudo começou, até um sunset íntimo num terraço no Porto, MEERA é a receita na dose certa para a diversão de que todos procuramos.

Há alguns anos atrás, Jonny Abbey (músico e produtor que integrou Mirror People como guitarrista e vocalista), e Cecília (vocalista e baterista portuense) acabaram por se conhecer na mesma banda. Fascinados com as viagens pelo mundo e visitas a destinos exóticos, ambos fizeram parte de uma banda em digressão mundial.

Jovens despreocupados que eram, tornaram-se companheiros numa altura em que existia uma enorme vontade de experimentar o que a vida tem para oferecer. Deambularam nas ruas de Xangai às 2 da manhã, entrosaram-se com os músicos frenéticos do Rio de Janeiro, e perderam um voo em Berlim mesmo antes de um concerto, tudo isto acontecendo de forma natural e inspiradora para ambos. Ao contrário das paixões de verão, tantas vezes efémeras, a sua amizade e ligação musical saiu ainda mais fortalecida. Muitas das narrativas das canções são provenientes destas mesmas experiências de vida.

Pouco tempo depois de terem regressado a Portugal, devido a uma necessidade de descontração inerente a qualquer millennial que trabalha em demasia, conheceram o produtor Goldmatique. Nessa festa, num terraço no Porto, descobriram que mais do que terem amigos em comum, a sua visão musical encaixava na perfeição e começaram a encontrar-se regularmente para sessões de composição e produção. O Goldmatique também trouxe com ele o produtor Rykord para limar ainda mais a estética das canções.

Estes músicos encontraram na cidade do Porto a energia certa para estas canções. Quer sejam focadas na libertação sexual, abraçando em simultâneo a necessidade humana de intimidade, ou sobre a auto-aceitação das nossa falhas e desequilíbrios, a música de MEERA oferece o escape perfeito, contendo uma electricidade contagiante capaz de nos proteger de todas as preocupações rotineiras.

Nunca aceitando a norma, encontram o seu conforto na exploração do escapismo, na procura incessante de amor e reconhecimento, mesmo que isso implique alguns desgostos amorosos.

(em atualização)

Também poderás gostar:

Continue Reading