8 filmes nacionais de temática LGBT que você precisa assistir no Festival Mix Brasil

Transamazonia, de Renata Taylor, Débora Mcdowell, Bea Morbach, que está em cartaz no Festival Mix Brasil.

De um lado, incertezas que rondam alguns festivais de cultura e ofensivas do governo federal frente a produções de temática LGBT. Do outro, a 27ª edição do Festival Mix Brasil, que persiste em garantir uma programação de música, cinema, teatro e literatura voltada para questões de gênero e sexualidade. 

Cerca de 110 filmes de 26 países compõem a seleção deste ano, além das atrações inéditas de teatro, música, literatura e, pela primeira vez, games. O destaque fica com a agenda cinematográfica que traz menos filmes internacionais, o que cedeu espaço para longas e curtas-metragem brasileiros.

LEIA MAIS:

Entre eles, estão longas que vão de afetividades até lutas da população LGBTQI . Entre eles, Música Para Morrer de Amor, de Rafael Gomes, que foi exibido no NewFest, festival de cinema LGBT de Nova York e Uma Garota Chamada Marina, sobre a cantora Marina Lima, dirigido por Candé Salles e Transamazonia, de Renata Taylor, Débora Mcdowell, Bea Morbach.

Abaixo, o HuffPost Brasil selecionou nove filmes que André Fisher e Josi Geller, diretores do Festival Mix Brasil, acreditam que você não pode deixar de assistir.

1. Música Para Morrer de Amor, de Rafael Gomes

O longa Música Para Morrer de Amor, dirigido por Rafael Gomes, é baseado em uma peça de teatro homônima e foi exibido pela primeira vez no NewFest, um dos festivais  de cinema LGBT mais importantes de Nova York ― ele será exibido pela primeira vez no Brasil no Festival Mix Brasil.

É São Paulo, em 2019, e o filme conta a história de três corações prestes a se partir ― além de trazer nuances sobre gênero e sexualidade ao som de músicas par morrer de amor. Um dos personagens, Ricardo, namora, mas nutre uma paixão platônica por Felipe, seu novo colega de trabalho. Já Isabela, em crise com Ricardo, que é seu melhor amigo, enfrenta sozinha o rompimento de seu namoro com Gabriel. Enquanto isso, Felipe se vê no meio de Ricardo e Isabela, entre as projeções de uma relação ideal e a descoberta de novos sentimentos. 

DATA E LOCAL DE EXIBIÇÃO:
16 NOV | SÁBADO – 17h @ Cinesesc
19 NOV | TERÇA – 19h @ Cine Olido

2. Uma Garota Chamada Marina, de Candé Salles

Dirigido por Candé Salles, a vida e a obra de Marina Lima – uma mulher à frente do seu tempo e uma artista que, em mais de 40 anos de carreira, canta os anseios de várias gerações, estão no documentário Uma Garota Chamada Marina realizado a partir de um vasto material que acompanha a trajetória da artista,

 » Ler Mais

Publicidade

Últimos Artigos

Latest Posts

Publicidade

Não percas

Publicidade